sábado, 19 de janeiro de 2013

Jornalista de Respeito: Alexandre Garcia comenta sobre (a ineficácia do) desarmamento!



Alexandre Garcia comenta a onda de criminalidade no país, a ineficácia de políticas de desarmamento e do discurso de não reação. Comentário primoroso que vale ser ouvido e guardado. O problema não está nas armas, mas nas pessoas. A polícia não é onipresente. E os bandidos de hoje atiram mesmo quando a vítima não reage. Se um cidadão sente-se seguro e responsável para dirigir um veículo, porque também não uma arma? Há várias situações onde uma pessoa responsável e armada evitou crimes e tragédias.


Degravado integralmente do áudio deste Nobre Jornalista com "jota", de verdade... áudio logo abaixo do texto

Bom dia! Hoje o nosso tema vai ser mais ou menos de página policial, porque, vocês viram na Ponte da Amizade, um assaltante primeiro atirou, para depois assaltar: "já não tem mais essa de esperar pela reação do assaltado; e as autoridades brasileiras costumam dizer "não reaja, entregue tudo", mas aí não adianta mais não reagir, o assaltante atira primeiro".

Aconteceu isso duas vezes na Barra da Tijuca, que é um bairro do Rio de Janeiro que tem-se dito que seria o mais seguro do Rio de Janeiro; os assaltantes simplesmente atacam pessoas dentro do carro, já chegam atirando, antes de mais nada!

Pois é, enquanto isso, nós estamos aí toda hora mobilizados pelo desarmamento no Brasil; eu gostaria de fazer uma comparação entre um estado americano e um estado brasileiro: Alagoas e Utah, os dois tem 3 milhões de habitantes; então, são parecidos em população, só que Utah tem 2,5 milhões de armas, ou seja, praticamente uma arma para cada morador; Alagoas não, Alagoas tem apenas 9558 armas registradas, ou seja, 0,003 armas por habitante.

No entanto, vejam só: lá em Utah, a pessoa praticamente pode tirar o porte de arma sem nenhuma restrição, desde que tenha idade mínima, comprovante de residência e um curso preparatório para uso de arma, a polícia não pode nem negar; quem tiver esses requisitos não pode negar o porte de arma; aqui no Brasil não, né? Pela cara da pessoa, a Presidente Dilma acabou de negar aí o aumento do porte de arma.

Pois bem, segundo dados do FBI em 2010, Utah registrou 53 homicídios; em Alagoas, que tem pouca arma, 2084 homicídios; quer dizer, os países desarmados matam 40 vezes mais que os países armados.

Sabe o que é? É que o "bandido tem medo da reação; se o bandido desconfia que a pessoa está pronta para atirar de volta, já não tem a mesma ousadia que tem os bandidos brasileiros".


Um comentário:

  1. dalmo mariano da silva junior22 de maio de 2013 04:50

    É o óbvio ululante, na verdade o governo quer mais é que o cidadão se dane, seja morto e pronto, desde que pague seus impostos Enquanto viver e trabalhar como escravo, neste pais sem lei e sem ordem.

    ResponderExcluir